HOME SHOPPINGS ACT CCT TABELAS SINDICAIS CONTATO
CONTRIBUIÇÕES Contribuição
Sindical
Contribuição
Confederativa
Contribuição
Assistencial
Solicitação
de Boleto

Mercado

Retomada do consumo virá só depois das eleições, diz presidente do Boticário

Apesar de o cenário ser incerto, Artur Grynbaum mantém plano de expansão de lojas no ano




Mesmo em um ano de incertezas econômicas e políticas , o grupo Boticário comprou a concorrente Vult, voltada para o público de classe C e D, reverteu lojas franqueadas em próprias e ainda planeja a expansão de lojas de todos os seus negócios --que incluem Eudora, Quem disse, berenice?, The Beauty Box e Multi B.

O presidente da empresa, Artur Grynbaum, diz que mantém os pés no chão, porque os dados recentes indicam que a retomada será mais lenta do que o previsto, mas não abdica da empolgação.

"Tenho uma convicção grande de que todo varejista tem de ser otimista", afirmou o empresário.
 

A perspectiva é que o crescimento da economia em fevereiro vem abaixo do esperado. Qual a expectativa para 2018??

Fevereiro nos trouxe um pouco de pé no chão. Hoje eu acredito que o mercado pode até avançar, mas a retomada vai mesmo ficar para o segundo trimestre, para depois das eleições. Continuo achando que 2018 será melhor, mas que [a retomada] será mais picada do que achavam no começo.

 A rede já começou a contratar funcionários temporários dentro da nova lei trabalhista??

Estamos experimentando [a contratação de temporários] por meio de nossas lojas próprias para, depois de testado o modelo, expandir para os nossos franqueados. A questão é que você contrata mais desses profissionais quando você tem um movimento mais forte [do comércio]. Então precisamos entender o ritmo do varejo primeiro. Dessa forma, vamos poder dimensionar novas vagas adequadas com a estrutura que temos em nossas lojas para atender melhor o consumidor.

Nos últimos anos, o Boticário tem apostado em propagandas de diversidade, motivo pelo qual a marca sofreu ataques de homofobia. Qual a vantagem, então, de investir nessa abordagem??

Não é uma questão de investir na abordagem de diversidade. A diversidade é o que é. As marcas têm um papel importante de trazer essa realidade do mundo [para a publicidade] de uma forma carinhosa. É o que nós fazemos com nossas campanhas: aproximar a sociedade da realidade.

Você já tinha visto antes [do Boticário] alguma marca falar de Natal com pais separados, pais adotivos?

Não. Mas nos deparamos o tempo inteiro com histórias assim no nosso dia a dia. Diversidade não é a nossa bandeira. É um valor que temos dentro do grupo com todo o respeito que nós temos pela sociedade.

Quais os planos da companhia com a recente compra da Vult Cosmética??

Não podemos comentar muito porque a compra espera aprovação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). Mas a marca apresentou um crescimento robusto nos últimos anos. Criada por dois empreendedores, ela atende o público das classes C e D, com quem não tínhamos tanto contato. De um lado, ajudaremos a Vult a se expandir e, de outro lado, o grupo poderá aprender a operar com novos canais de distribuição, catálogos e a atender esse tipo de consumidor.

Está prevista a abertura de 70 lojas neste ano. Já determinaram o segmento??

As inaugurações estão previstas para todos os nossos negócios. Vamos entrar em novos shoppings e em cidades onde ainda não estávamos presentes. Das 4.000 lojas, 90% são franquias.

Por que optaram por recomprar algumas unidades no ano passado??

Foi um movimento pontual, um olhar mais estratégico em algumas praças, seja para trabalhar melhor a marca, seja porque o franqueado queria se desfazer do negócio, mas não tinha para quem passar a franquia.

Quanto essa conversão representou do total de lojas??

Não chega a 4%. O modelo de franquia nasceu conosco e acreditamos nele. Mas com lojas próprias podemos aprender e enxergar tendências para ajudar os franqueados.

Que ajustes tiveram de ser feitos na empresa durante a recessão??

Em 2015 fizemos uma reformulação no grupo e mexemos no organograma para ter uma agilidade maior nas decisões. Assim, pudemos dar respostas mais rápidas para atender a mudança de hábito dos consumidores.

O que foi destaque de vendas no período??

Quando o bolso aperta, o consumidor acaba escolhendo produtos que conhece e confiança. Não se dá ao luxo de testar outros. Preservamos a cesta de produtos de sempre e, no caso dos novos, reduzimos os preços.

Como manter o ritmo de crescimento em um cenário econômico tão incerto??

Não tem outro jeito, apenas trabalhando. Tenho uma convicção grande: todo varejista tem de ser otimista. Não importa o cenário.
Artur Grymbaum

Idade 49

Cargo Presidente do Boticário desde 2008

Carreira entrou na empresa em 1986, como assistente financeiro

Formação administração pela Faculdade de Administração de Empresas (FAE) e finanças pelo Ibmec


Fonte: Folha de São Paulo

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

SHOPPING MUELLER CONQUISTA DOIS TROFÉUS NO PRÊMIO ABRASCE 2018

Leia +

Alvaro Dias pede a empresários lucidez.

Leia +

Esse evento é para todos os piás e gurias que adoram futebol.

Leia +

Varejo paranaense vende 5,13% a mais no primeiro semestre

Leia +

Ações do Magazine Luiza disparam após melhor resultado dos últimos 5 anos

Leia +

Brasileiros esperam pelo avanço do trabalho remoto

Leia +

Empresários cobram de Temer medidas para setor Empresarial

Leia +

Cota de vagas para presidiários é impraticável, dizem associações

Leia +
ARQUIVO    Clique para ver todas as notícias

CADASTRO

Cadastre-se e receba notícias
do Sindishopping


NOME
EMAIL
TELEFONE