HOME SHOPPINGS ACT CCT TABELAS SINDICAIS CONTATO
CONTRIBUIÇÕES Contribuição
Sindical
Contribuição
Confederativa
Contribuição
Assistencial
Solicitação
de Boleto

Previdência

Natureza não salarial

Aviso prévio indenizado está livre da incidência de contribuição previdenciária



O valor pago como indenização referente a aviso prévio não tem natureza salarial e por isso não pode ter desconto de contribuição previdenciária. Com este entendimento, a 1ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho afastou a cobrança sobre o aviso-prévio indenizado recebido por um vendedor-propagandista de medicamentos.

O Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS), com fundamento na sua jurisprudência, determinou a inclusão do aviso prévio indenizado na base de cálculo das contribuições previdenciárias.

No recurso de revista, o vendedor demonstrou a existência de divergência jurisprudencial ao indicar decisão do TRT da 12ª Região (SC). Nesse julgado, o entendimento foi o de que, não havendo prestação de trabalho no curso do aviso prévio, não há como enquadrá-lo no conceito de salário de contribuição.

Natureza indenizatória
O relator do recurso, ministro Walmir Oliveira da Costa, destacou que o TST pacificou o entendimento de que o título relativo ao aviso-prévio indenizado, por não decorrer de trabalho prestado ou de tempo à disposição do empregador ou do tomador de serviços, tem natureza estritamente indenizatória. Por isso, não se insere entre as parcelas que integram o salário de contribuição previsto no artigo 28, inciso I, da Lei 8.212/91, que trata da organização da Seguridade Social.

Segundo o relator, esse entendimento prevalece mesmo após a alteração do artigo 28, parágrafo 9º, da lei, uma vez que trata de identificar a natureza jurídica da rubrica. Como exemplo, citou decisões da Subseção 1 Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1) e de Turmas do TST em que a cobrança de contribuição social sobre o aviso prévio indenizado é incabível em razão de sua natureza jurídica. Num dos precedentes, destaca-se que a parcela visa compensar o resguardo do prazo garantido por lei para a obtenção de novo emprego. Com informações da Assessoria de Imprensa do TST.

Processo ARR-386-92.2013.5.04.0016

Revista Consultor Jurídico, 22 de janeiro de 2019, 14h45

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Lojas Colombo faz 60 anos e busca expansão da rede

Leia +

Depois de 8 anos, expectativa do consumidor de aumentar gastos volta a crescer, diz BCG

Leia +

Novo shopping vai abrir 6 mil empregos na Grande Curitiba

Leia +

PIB FECHA 2018 COM CRESCIMENTO DE 1,1%, MOSTRA IBGE

Leia +

Atividade do comércio cresceu 0,9% em janeiro

Leia +

Brasileiros mudam hábitos de consumo e pesquisam mais os preços

Leia +

Varejo deve retomar nível de crescimento pré-crise em 2020, diz CNC

Leia +

Curitiba vai ganhar complexo médico de R$ 80 milhões com cara de shopping

Leia +
ARQUIVO    Clique para ver todas as notícias

CADASTRO

Cadastre-se e receba notícias
do Sindishopping


NOME
EMAIL
TELEFONE